Banner Principal

Alimento Espiritual: Artigos e Formação

:: Canais / Espiritualidade

121 ST – A Unção que passa através dos sacerdotes!

- Imprimir artigo

 

Queridos Arcebispos, Bispos, Sacerdotes!
Querido Jesus Cristo no seu Episcopado, no seu Sacerdócio!
Sempre cumprimento os dois em cada carta que escrevo aos arcebispos, bispos e sacerdotes porque calou fundo na minha alma a orientação que recebi de Jesus Cristo. Nunca mais vou ver, ouvir, falar, tocar ou conversar com um ser humano somente quando este cidadão for um homem que teve o Sacramento da Ordem. Jesus Cristo Ressuscitado está para sempre presente, junto com os sacerdotes de uma forma real.
Eu fiquei muito sensível à presença de Jesus Cristo Ressuscitado na pessoa de qualquer sacerdote, por causa da minha pouca fé e do Ministério que Nosso Senhor queria que eu fizesse em sua Igreja, cuidar das vocações.
Jesus Cristo deixou sua expressão biológica e a sua pessoa total e íntegra na Eucaristia: Pão e Vinho transubstanciando-se em Corpo e Sangue de Jesus Cristo.
Jesus Cristo deixou sua expressão espiritual e a sua pessoa total e íntegra no Pentecostes: o Espírito Santo transfigura em cada cristão com o espírito de Jesus Cristo e nos faz Novos Cristos.
Jesus Cristo deixou sua expressão psicológica e a sua pessoa total e íntegra na Bíblia Sagrada: a Palavra, o Verbo se fez Carne e se revela no Evangelho, na Palavra Sagrada de Jesus Cristo.
E a expressão social a sua pessoa total e íntegra de Jesus Cristo está na pessoa dos sacerdotes, para a edificação de sua Igreja.  Ser sacerdote é ser Jesus Cristo Ressuscitado.
O mais importante para os Arcebispos e Bispos é a plenitude do único sacramento da Ordem. A plenitude sacerdotal é que os distingue dos outros sacerdotes comuns.
Por isso, é importante que os sacerdotes não vivam indiscriminadamente este mistério maravilhoso. Mas, precisam assumir com santidade e respeito a presença de Jesus Cristo na sua própria pessoa. Viver com intensidade este mistério grandioso de intermediário. Jesus Cristo foi tão bom intermediário do Deus-Pai que até jorrou o Espírito Santo em nós. Assim, se o sacerdote for bom intermediário também fará jorrar o Espírito Santo em nós.
No livro da Imitação de Cristo: “Como devem ser limpas as mãos, pura a boca, santo o corpo, imaculado o coração do sacerdote, onde tantas vezes entra o Autor de toda a pureza. Da boca do sacerdote que amiúde recebe o sacramento de Cristo não deve sair palavra não seja santa e edificante”.
Na Confissão Jesus Cristo vai ouvir e falar com você através do sacerdote. Você pode chamar o padre de Jesus Cristo, naquele momento. Enquanto o sacerdote faz o sinal da cruz, sinal da Redenção, diante de você, absolvendo em nome da Igreja, Jesus Cristo morre na Cruz por seus pecados e só para você naquele instante.
Os ouvidos dos sacerdotes são para nós os ouvidos de Jesus Cristo. Mas se eles não derem o retorno que Jesus Cristo queria para nos responder, então eles vão acertar as contas com Jesus Cristo. Os lábios, as bocas dos sacerdotes são para nós a boca de Jesus Cristo. E vai prestar contas desta mediação.
Jesus Cristo conhecia bem a Psicologia porque tudo fez com linguagem completa consciente e inconsciente nas suas curas e libertações. E a Igreja faz tudo com linguagem consciente racional, a fala (forma do sacramento) e com a linguagem inconsciente afetiva, os gestos (a matéria do sacramento). Assim, as mãos do sacerdote trabalham junto com sua boca formando a matéria e a forma dos sacramentos.
No Batismo o sacerdote pronuncia a forma: Eu te batizo em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo enquanto derramam água sobre a criança que nasce para a eternidade e se torna um filho de Deus.
Nos casamentos do povo, os noivos são os ministros. Mas todos os que se casam na Igreja Católica, fazem seu casamento diante de um sacerdote, que é o Deus presente. O sacerdote colabora com a benção das Alianças em nome de Deus.
No sacramento da unção dos enfermos o sacerdote parece com um pai prestimoso ao lado do filho doente, dá a unção. (cuja matéria remota é o azeite de oliva abençoado pelo bispo na quinta feira santa) e a matéria próxima são as mãos sacerdotais traçando a cruz da Redenção e da Misericórdia e pronunciando as palavras de cura para o corpo e alma. E às vezes as mãos do sacerdote fecham os olhos dos moribundos nesta vida para que eles os possam abrir-se na eternidade. As mãos do sacerdote e suas palavras fazem o Mistério da Presença de Deus acontecer.
O sacerdote é intercessor quando ergue os braços tal qual Moisés no alto monte enquanto Josué guerreava, a oração do sacerdote faz a Igreja vencer a luta. O sacerdote é a ponte entre Deus e a Igreja Militante, é o Cristo em nosso meio. É Pontífice.
No inicio da Missa, do altar o sacerdote traça sobre os fiéis a benção que os perdoa e fortalece na caminhada rumo a Deus, é a Benção Redentora de Cristo. É o Cristo no alto da cruz, no altar do sacrifício, clamando ao Pai, perdoai-lhes porque não sabem o que fazem.
A Consagração na Santa Missa é feita através das mãos sacerdotais que se estendem sobre as espécies invocando o Espírito Santo, com o poder espiritual dado na ordenação. Os lábios dos sacerdotes pronunciam aquelas Palavras Misteriosas “Tomai e Comei. Isto é o Meu Corpo...” e as suas mãos O tocam e levantam a Hóstia com simplicidade de um camponês, mas com uma dignidade Infinita que nem aos anjos foi dada. E na consagração do Vinho erguem com as suas mãos o Cálice e pronunciam novamente as misteriosas Palavras: “Tomai e bebei este é o Cálice da Nova e Eterna Aliança que é derramado por Vós” E o Deus Todo-Poderoso se submete ao homenzinho ordenado e ocorre a transubstanciação. Que mistério lindo!
 Talvez alguns dos sacerdotes num excesso de falsa humildade podem não verem, não entenderem e talvez alguns nem creiam neste profundo Mistério, mas saibam: Quando um sacerdote ergue o Cálice nos mostra a grande Humildade de Cristo que se faz presente por um ato de sua intenção e de sua fala, em voz audível e publica. Vendo esta verdadeira humildade de Jesus Cristo nas mãos dos sacerdotes os acordem para crerem mais no Mistério da Presença de Cristo que carregam
Ainda na Santa Missa, quando o sacerdote prega com inflamado zelo, com amor à Palavra e com a sua vivencia clara e transparente, as tuas mãos vibram-se em cada gesto e apontam para nós o caminho da verdade. As mãos dos sacerdotes abrem a porta do Céu para nós. Mas, se não forem honestos com Deus pode fechá-la a si mesmo.
Na ordenação é comunicado um poder espiritual que vem de Deus, a força da unção e da presença de Deus está nas mãos do ministro e na sua fala e não no elemento material de cada sacramento. As mãos do sacerdote na ordenação, são banhadas em óleo e amarradas para que ao serem desatadas, ele tome consciência de que as suas mãos não lhe pertencem mais. Serão santas e sagradas para consagrar.
É necessário um olhar de fé sobre este assunto. Desconfio que aí esteja o problema oculto que muitas vezes o próprio dono destas santas mãos e desta boca não se dá conta do seu poder. Cuidado padre, se não fores honesto com Deus, podes abrir o céu para muita gente e fecha-lo para si mesmo.
Cuidado Igreja com esta Unção que passa através da pessoa dos sacerdotes! Não abuse.
Juracy Villares.
Comunidade Missionária Santíssima Trindade
www.cmsantissimatrindade.org.br

Juracy Villares

Do livro: “Vocação: uma vida encantada com Deus!” de Juracy Villares

Copright 2002 - 2006. Comunidade Missionária Santíssima Trindade - Todos os direitos reservados