Banner Principal

Alimento Espiritual: Artigos e Formação

:: Canais / Espiritualidade

155 ST – A importância do nosso perdão aos irmãos!

- Imprimir artigo

 

155 ST – A importância do nosso perdão aos irmãos!
Jesus teve dois traidores: Pedro e Judas. Judas não se retratou. Pedro negou três vezes por medo e covardia, mas se retratou. Ele os tratou sem distinção de pessoas, com amor, e conviveu com eles, mesmo quando já sabia que ia ser traído por eles e até avisou antes. Somos vacinados pelos problemas entre nós para podermos aprender a perdoar. E no futuro precisaremos perdoar os nossos algozes! Para isto tenho de ser vacinado hoje no perdão.
Perdoar sinceramente e profundamente, no intimo é abrir o coração e olhar com amor todos os fatos acontecidos, retirando toda a área suja. Perdoar me faz sair da cadeira de vitima, sara o ar de ‘coitado’, de fracasso. Perdoar é sair do poço da autopiedade, deletando a dor. Dar parte da dor faz a dor partir. (o sublinhado é o mesmo verbo)
Há pessoas com doenças em todo o corpo, por que ficam remoendo faltas antigas dos outros. Estas doenças são consequências de nunca ter perdoado as pessoas envolvidas. Perdoar traz vida aos dois envolvidos. Quem não perdoa mata. (1Jo.3,15)
 Jesus Cristo morreu na cruz, crucificado entre dois ladrões, seminu, para nos redimir de todos os nossos pecados e ficamos assim perdoados por Deus e reconciliados com Deus.
Em Lc.23,34 vimos que Jesus Cristo disse: “Pai, perdoa-lhes; porque não sabem o que fazem”. Ele não precisava dizer isto, porque ele já estava derramando o seu sangue para todos os homens do mundo, todos os pecadores. E Jesus deu ainda um perdão extra para estes judeus que lhe bateram, o prenderam e o mataram!... Será que receberam duplo perdão estes judeus que o prenderam e o mataram?...
O pecado dos malfeitores somente pode ser perdoado pelo próprio ofendido, que no caso era o próprio Jesus. Assim Jesus deu a chance daqueles judeus serem perdoados por Deus, quando Ele mesmo sendo o ofendido já dera o seu perdão. E nos deu exemplo para perdoarmos os que nos ofenderam. Com estas palavras em Lc.23,34 Jesus perdoa a falta deles e abre a oportunidade de Deus ser justo com o perdão total. E nós descobrimos que: se eu não perdoar, eu retenho o perdão de Deus sobre o meu irmão.  Se eu não perdoar o meu irmão, eu o condeno e ele será punido por Deus. E nem eu serei perdoado dos meus pecados. (Lc.6,36-37).
A quem eu perdoo Deus também pode perdoar e eu liberto a pessoa do pecado contra mim praticado. Se Deus perdoasse independente do perdão do ofendido ele seria injusto. Quando o verdadeiro ofendido perdoa, dá a chance de receber também o perdão dado por Deus que assim concede o perdão divino e justo. “Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhe-ão perdoados; Àqueles a quem os retiverdes, ser-lhe-ão retidos.” (Jo.20,23).
Quais os benefícios do perdão, ou de se perdoar alguém? 
  Libero o meu irmão do pecado e permito que ele receba o perdão de Deus.(Jo.20,23). Se eu quiser salvar o meu próximo malfeitor, devo perdoar para dar-lhe a chance do perdão divino.
*    Liberto-me das mãos dos demônios atormentadores.  (Lc.12,58-59).
*    Eu me liberto da cadeira de vitima, sarando ar de ‘coitado’, de fracasso. Perdoar é sair do poço da autopiedade, deletando a dor. Dar parte da dor faz a dor partir.
*    Recebo o perdão de Deus dos meus pecados, na mesma medida que eu perdoar o próximo. (Mt.6,14-15 e Lc.6,36-37).
Toda pessoa pode pedir a Deus a capacidade de perdoar sempre que for ofendido do fundo do coração, e de pedir o perdão das ofensas feitas ao irmão. (Col.3,13).
 
  Juracy Villares.
 Comunidade Missionária Santíssima Trindade.
 
 

Juracy Villares

Copright 2002 - 2006. Comunidade Missionária Santíssima Trindade - Todos os direitos reservados