Banner Principal

Alimento Espiritual: Artigos e Formação

:: Canais / Espiritualidade

Somos o povo do Deus Vivo; do louvor!

- Imprimir artigo

Somos o povo do Deus vivo! Jesus Cristo ressuscitou! Vive no meio de nós, dentro de nós, conosco! Somos Felizes! Somos um povo de louvor em qualquer circunstância! Somos a Igreja de Jesus Cristo Ressuscitado! Estamos com Ele!... “E eis que Eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos!” (Mt 28,20).
E se estamos com Jesus, já chegamos!... Não precisamos ir a lugar nenhum, nem querer nada, nem buscar ninguém, nem lutar por nada mais a não ser o seu Reino de Amor. Estamos já na eternidade ainda aqui e o nosso coração é o lugar da Adoração! O nosso coração é o templo, é a Igreja de Deus Vivo. Somos Igreja !
Falar da Igreja é falar de São Pedro. Homem da santa ousadia por Deus, nosso Chefe e também é o homem do pecado, do arrependimento sincero. Ele personifica a cada um de nós. E entende de sofrimento pelo Evangelho. Veja como nos orienta: “ E até sereis felizes se padecer alguma coisa por causa da justiça! Portanto, não temais as suas ameaças e não vos turbeis. Antes santificai em vossos corações em Cristo, o Senhor. Estai sempre prontos a responder para a vossa defesa a todo aquele que vos pedir a razão de vossa esperança, mas fazei-o com suavidade e respeito.” (1 Pe 3, 14-15).
Somos o povo do Louvor, da Ação de Graças, da Alegria, da Paz. Somos o povo agraciado com a Santa Presença de Deus Encarnado. E precisamos estar sempre prontos para responder sobre a razão da nossa esperança : somos o povo do louvor por que Cristo ressuscitado está conosco !...
Jesus é tão grande que mesmo como homem não coube no tempo e no espaço. Ainda se fala Dele como se o fato de sua Paixão tivesse ocorrido ontem. Por isso até hoje nós ainda O estamos descobrindo e ficamos inebriados com sua importância e magnificência. Todos os lugares da Terra Santa estavam cheios de gente de várias partes do mundo, buscando-O. Eu regozijava e me alegrava no meu interior, com aquele desconforto por causa da multidão, rodeada de pessoas por causa Dele. É esse o Homem que eu escolhi, que eu amo, para quem vale a pena viver ...
Jesus é tão grande, tão Deus que sua fama não coube em um simples homem. As palavras Dele tem um peso de eternidade, alcança a nós aqui no ocidente, no outro extremo da Terra e, até nós do quase século XXI.
Jesus nos deu uma ordem: Não murmureis entre vós”. ( João 6, 43).
Vimos na Terra Santa o Muro das Lamentações com muito respeito pelas perdas do povo de Jesus, mas também com muito respeito pela nossa identidade de Igreja do Deus Vivo entre nós e no meio de nós. Somos o povo feliz com Deus Vivo conosco e não convém lamentar e murmurar por nada, nem no muro das lamentações... Não podemos desonrar a presença de Deus com lamurias, reclamações e murmurações.
No livro da Sabedoria temos uma advertência sobre as disposições exigidas pela Sabedoria de Deus na vivência cristã : “Amai a justiça, vós que julgais a terra, pensai no Senhor com retidão, (ou tende para com o Senhor sentimentos perfeitos), e procurai-o na simplicidade do coração , porque ele se deixa encontrar por aqueles que não O tentam, Ele se revela aos que não lhe recusam a fé.”. (Sab 1, 1-2)
Nossos sentimentos são manifestos pelas palavras que pensamos e que proferimos. Qual a justiça perfeita para com Deus? Quais são os sentimentos perfeitos para com Deus?... São os nossos sentimentos de eterna gratidão manifestados nas nossas palavras de Louvor!. Isto é fazer justiça a um Deus tão Bom e Misericordioso!...E só conseguimos fazer isto inspiradas pelo Espírito Santo. Quem não louva e não reverencia Deus como o primeiro de sua vida comete injustiça para com Deus e cai no pecado da impiedade. Quem não louva aprisiona a verdade por uma injustiça ao Amor de Deus, pois Deus é digno de todo louvor, de toda a glória e de toda a nossa gratidão.
“Manifesta-se, com efeito, a ira de Deus, do alto do céu, contra toda impiedade e injustiça dos homens que mantém a verdade prisioneira da injustiça. Porque o que se pode conhecer de Deus é manifesto entre eles, pois Deus lhe revelou. Sua realidade invisível, --- seu eterno poder e sua divindade --- tornaram-se inteligível, desde a criação do mundo, através das criaturas, de sorte que não tem desculpa. Pois, tendo conhecido a Deus, não o honraram como Deus, nem lhe renderam graças; pelo contrario eles se perderam em vãos pensamentos arrazoados, e seu coração insensato ficou nas trevas. (Rom 1, 18-21)”.
Há uma confirmação da impiedade (sem intimidade com o Espírito Santo) como fruto da injustiça para com Deus (a lamentação e falta de louvor), no livro da Sabedoria: “Pois o Espírito Santo, o educador , foge da duplicidade, ele se retira diante dos pensamentos sem sentido, ele se ofusca quando sobrevêm as injustiças. A Sabedoria é um espírito amigo dos homens, não deixa impune o blasfemo por seus propósitos; porque Deus é a testemunha de seus rins, perscruta seu coração segundo a verdade e ouve o que diz a sua língua. O Espírito do Senhor enche o universo, dá consistência a todas as coisas não ignora nenhum som”.( Sab. 1,5 - 7). Portanto: ouve toda a voz “Um ouvido cioso ouve tudo, nem o rumor dos murmúrios lhe escapa.. Guardai-vos, pois, do murmúrio inútil, poupai à vossa língua a maledicência; não há frase furtiva que caia no vazio, a boca mentirosa mata a alma.( Sab 1,10 -11)
Ao contrario: “Alegrai-vos sempre no Senhor. Repito: alegrai-vos! Que a vossa moderação se torne conhecida de todos os homens. O Senhor está próximo. Não vos inquieteis com nada! Em todas as circunstancias apresentai a Deus as vossas preocupações, mediante a oração, as suplicas, e a ação de Graças.”(Fil.4,4-6). Como será conhecida a nossa moderação e confiança, se não testemunharmos com a alegria e o louvor?
Jesus é Jesus!... e sua presença nos seduz....Jamais reclamar. Nunca murmurar!... Se Jesus comigo está, já sou feliz ainda que na pior situação do mundo.
Jesus é Jesus !... e sua presença nos regozija, nos plenifica, nos seduz!
“Ficai sempre alegres. Orai sem cessar. Por tudo dai graças, pois esta é a vontade de Deus vosso respeito, em Jesus Cristo.” (1Tessal5,16-18). Nem no muro das Lamentações não vou reclamar! Mas vou dar graças à Deus por este novo tempo da permanente presença de Deus conosco pelo Espírito Santo!...
A vida é como uma gangorra de parque de diversões. Ora estamos em cima, ora estamos em baixo. Na gangorra da vida, Jesus brinca conosco. Ele é o nosso companheiro de gangorra. Enquanto me elevo, me defendo, Ele se arrasta de novo e até cai no calvário da Jerusalém do meu coração. Mas, quando sou humilhada e silenciosa, Ele se eleva como rei no meu testemunho. E de vez em quando Ele me eleva em seu amor para voar no Espírito, regozijar com Ele nas Teofanias da vida.. E às vezes me deixa ser provada e humilhada nas baixadas rasantes da gangorra, nunca jogada fora. O importante da gangorra da vida é que Ele está sempre no outro lado brincando comigo, e posso me alegrar de sua exaltação ainda que eu esteja em baixa.
Quando nosso amor por Jesus se torna mesquinho pelo agitado das tarefas do cotidiano e até da Igreja, louvamos pouco e olhamos para as circunstâncias. Louvamos pouco porque amamos pouco à Jesus!
Na Terra Santa, vi que Jesus Cristo vale muito e até hoje, sustenta seu povo, à custa do turismo centrado em sua pessoa. Quanta liberalidade! Quanta bondade!... Os judeus o consideram um grande profeta e falam dele com amor e o amam muito mais que alguns de nós que O reconhecemos como Deus e Homem, como Deus Ressuscitado que vive conosco. Cantei em línguas e tive como interpretação esta musica :
 

Jesus Cristo, vales mais ... muito mais ... que o meu amor!...
Tu és digno que eu me derreta em seu favor!...
Jesus Cristo, vales mais ... muito mais ... que o meu amor !...
Tu és digno que eu me derreta em seu louvor!...
 

“O que sai da boca do homem procede do coração e isto que o torna impuro” (Mc 7,15) por isso precisamos purificar a nossa linguagem, eliminar as reclamações, as murmurações e as palavras duras, alimentar o nosso interior de louvor e da Palavra da Bíblia.
Quando na Igreja rezamos muito nas nossas celebrações com petições e pedidos, corremos o risco de nos embaraçarmos nas nossas necessidades que são muitas e perdemos o sentido da natureza de nosso Deus, ficando em lamurias, lamentações. Mas, se nos acostumamos a louvar, louvar, adorar, saímos de nós mesmos e pousamos em Deus. Apreciamos sua natureza, adquirimos como que por osmose esta sua própria natureza, que é amor, o seu jeito de amar, ficamos ricos de Deus plenos de amor e perdoamos. O louvor cura, liberta .
Antes que chegue o sol da tribulação diária é preciso encher os lábios do louvor que é o maná diário, dar graças.“Assim teus filhos queridos aprenderam, Senhor: não é a produção de frutos que alimenta os homens, mas a Tua palavra que sustenta os que crêem em Ti. Pois o que o fogo não devorou logo se derretia ao calor de um leve raio de sol, para que se soubesse que é preciso madrugar mais que o sol para te dar graças e, desde o raiar do dia , Te encontrar”. (Sab. 16,26-28).

Juracy Villares

Comunidade Missionária Santíssima Trindade

Copright 2002 - 2006. Comunidade Missionária Santíssima Trindade - Todos os direitos reservados