Banner Principal

Alimento Espiritual: Artigos e Formação

:: Canais / Religiosos e Consagrados

092 ST - O que é ser consagrado a Deus

- Imprimir artigo

 

 
É graça especial de Deus, de ser separado do mundo para Deus. É uma graça que derramada sobre a Igreja, e como tal, pode casar-se com Jesus Cristo. Pelo Sacramento da Crisma, somos Igreja e é como Igreja que podemos assumir um matrimônio espiritual com Jesus Cristo: “As mulheres sejam submissas a seus maridos, como ao Senhor, pois o marido é o chefe da mulher, como Cristo é o chefe da Igreja, seu corpo, do qual ele é o Salvador. Ora, assim como a Igreja é submissa a Cristo, também o sejam em tudo as mulheres a seus maridos. (Ef.5,22-24).
Para tornar a noiva de Jesus, a Igreja, compreensível a todos os homens, o Espírito Santo suscitou os consagrados, religiosos e religiosos, todos celibatários que vivem aqui o estilo de vida do céu, onde todos procuram juntos, corresponder ao amor de Jesus Cristo, na unção do Espírito Santo, para a glória de Deus Pai.
Há três tipos de religiosos quanto a sua função na Igreja: os contemplativos que são orantes e intercessores, os missionários, profetas que nos questionam com suas vidas e os educadores que pastoreiam cada porção do povo de Deus que está mais necessitada.
Este amor místico, forte, fundamentado no Sangue de Cristo na Cruz, forjado entre o autêntico consagrado e os coordenadores da comunidade, é recíproco. Quando acontece um amor assim, sob a forma de um encantamento, mais forte que o amor humano e disposto a suportar qualquer sofrimento, voto de obediência, vê-se que é o carisma se manifestando, é Deus revelando a unidade de Amor que existe na Trindade.
Santa Teresa também mostra como viver a vida fraterna através do Amor Espiritual:... “Este pacto quisera eu que fizéssemos, os cincos que atualmente nos amamos em Cristo. (...), procuremos nos reunir alguma vez a fim de nos desenganarmos mutuamente. Juntos veremos os defeitos a corrigir e o modo de contentar mais a Deus”. (Livro da Vida 16, 7).
Os capítulos 6 e 7 do livro "Caminho de Perfeição” nos falam do Amor Espiritual, que tem como eixo a comunicação profunda.
Há um amor especial entre os membros de uma comunidade, gerado pelo carisma, dimensão noética da comunidade. É mister existir tal relacionamento entre as pessoas de uma comunidade. “É no Meu Sangue que se realiza a família espiritual. É uma Aliança no Meu Sangue, é uma Família em Mim”. Se a família humana já é bonita, tanto mais o será uma família alicerçada no sangue de Cristo!
Santa Teresa descobriu esse matrimônio espiritual que deu vida para seu celibato e diz no seu livro das Moradas: "Que Sua Majestade celebre com a nossa alma o matrimônio espiritual” (7ª Moradas 1, 2). A finalidade do matrimônio espiritual é que dele nasçam obras, sempre obras”.(7ª Moradas 4, 6).
Os religiosos e consagrados preparam-se em diversas etapas — aspirantado, postulantado, noviciado e juniorato — para esse casamento que é celebrado nos votos perpétuos. No momento dessa cerimônia tem-se a impressão de que está faltando o noivo, no entanto Ele já está dentro de cada consagrado.
Santa Teresa diz que: "A nossa alma é como um castelo, feito de um só diamante ou de limpíssimo cristal. Neste castelo interior existem muitos aposentos, assim como no céu há muitas moradas (1ª Moradas 1,1)”. “No centro, no meio de todas está a principal (onde Deus habita) e onde se passam as coisas mais secretas entre Deus e a alma”.(1ª Moradas 1,3).
As diversas etapas de preparação servem para que o consagrado, a noiva de Jesus, tendo recebido formação humana e espiritual e criado o hábito de oração, se recolha em seu interior, encontre Jesus e viva a paz de quem já atingiu seu grande e único objetivo.
Não quer mais nada do mundo, nem ser mais nada, apenas viver para o Amado. “Quando Sua Majestade o Rei Jesus Cristo concede a graça do divino matrimônio, primeiro introduz a alma nesta morada, onde Ele habita. (7ª Moradas 1, 5 ). A porta para entrar neste castelo é a oração”.(1ª Moradas 1, 7).
A consagrada descobrindo que não consegue por seus esforços corresponder ao seu Amado Jesus, busca ajuda na Virgem Maria que é modelo de vida consagrada.
A exemplo de Nossa Senhora e também em comunhão com ela, para que ela nos ajude e também para ajudá-la como Mãe da Igreja, os consagrados celibatários exercem uma maternidade espiritual na Igreja.
A Nossa Senhora é nossa esperança de morar na Trindade Santíssima. Somos filhos e filhas de Deus Pai como ela; somos pessoas ungidas do Espírito Santo como ela; somos esposas de Jesus Cristo como ela é sua mãe terrena; somos as mães espirituais dos filhos da Igreja, dos cristãos, dos novos Cristos como ela; somos a imagem real da Igreja como ela.

 

Juracy Villares

Do livro: “Vocação: uma vida encantada com Deus!”

Copright 2002 - 2006. Comunidade Missionária Santíssima Trindade - Todos os direitos reservados